A patinagem artística no gelo, é uma modalidade desportiva onde, patinadores individuais, em pares ou em grupos, conjugam em harmonia, a técnica, a precisão, o equilíbrio, a proeza e a estética, em sintonia com a música, tudo isto sobre patins de lâminas afiadas, específicas para deslizar sobre o gelo.

 As lâminas têm na extremidade, à frente, um conjunto de dentes irregulares chamados de “toe pick” que são usados principalmente para a descolagem, ou seja, para ajudar a impulsionar o patinador no ar, quando executa saltos. As lâminas, para a modalidade de patinagem artística, têm, no centro e em baixo e no sentido do comprimento, um sulco, que cria duas arestas, a interior e a exterior de cada lâmina. É sobre estas arestas que se desliza e se desenrolam alguns dos elementos técnicos que são avaliados na patinagem. Para além disso, atrás dos “toe pick”, mais perto do meio da lâmina, fica uma zona arredondada da mesma, chamada de “rocker”. É esta zona arredondada da lâmina que o patinador usa para girar, por exemplo, para efectuar os piões.

A patinagem artística sobre gelo, foi o primeiro desporto de Inverno a ser incluído nos Jogos Olímpicos modernos, tendo feito a sua estreia nos Jogos Olímpicos de Londres em 1908.

Em patinagem artística sobre gelo, a nível de competição, existem diversas disciplinas:

– Homens (individual) = Men´s singles

– Senhoras (individual) = Ladie’s singles

– Patinagem de pares (livre) = Pair skating

– Dança sobre gelo (pares) = Ice dancing

– Patinagem sincronizada = Synchronized skating

Destas disciplinas, apenas a patinagem sincronizada não é considerada modalidade olímpica.

Nesta modalidade desportiva da patinagem artística, os atletas podem competir em variados níveis, que vão desde os iniciados até ao nível Olímpico. Internacionalmente, os atletas são agrupados em competições por faixas etárias: juniores, seniores e adultos. Cada país organiza as suas próprias competições a nível local, regional e nacional. A entidade oficial que regula e fiscaliza as competições internacionais é a ISU (International Skating Union). É da competência da ISU os Jogos Olímpicos de Inverno, os Campeonatos do Mundo, os Campeonatos Mundiais Juniores, os Campeonatos da Europa, o Campeonato dos 4 Continentes e a série de competições do Grand Prix (seniores e juniores) e as séries ISU Challenger.

Na patinagem individual, seja homens ou senhoras, o atleta executa piões, saltos, sequências de passos e outros elementos dos seus programas. Têm elementos técnicos obrigatórios.

Na modalidade de patinagem por pares, a equipa tem de ser composta obrigatoriamente por um homem e uma senhora. Esta disciplina tem alguns exercícios obrigatórios para os pares, como, por exemplo, os saltos lançados, em que o elemento masculino tem de lançar no ar o seu par, para que esta execute o salto, ou as elevações, em que o elemento masculino tem de erguer no ar, acima da sua cabeça, o seu par feminino, numa posição definida. Também têm de executar viragens e piões em simultâneo.

A modalidade de dança sobre o gelo também é executada por um par de atletas, um elemento masculino e um feminino, mas, por oposição à patinagem em pares, não pode haver elevações do elemento feminino, acima do nível dos ombros, embora as elevações sejam elemento obrigatório e os saltos e lançamentos para salto são proibidos. É uma disciplina que se foca mais num complicado jogo de passos, enquanto os patinadores dançam juntos.

Na patinagem sincronizada (antigamente chamada de patinagem de precisão), um grupo de patinadores, de 12 a 20 elementos, podendo haver até 4 substitutos por equipa, e que podem ser de ambos os sexos, desenvolvem uma série de formações no gelo e complexas transições entre elas. As formações base incluem círculos, blocos, linhas e intersecções. A dificuldade é elevada atendendo a que estes atletas trabalham em formações apertadas, com complicados movimentos de pés e têm de funcionar em uníssono. Podem ser efectuadas elevações acima da cabeça.

Uma pista de gelo de dimensões olímpicas tem as medidas de 30mX60m e o sistema de pontuação dos juízes, atribuiu pontos a patinadores que, de forma eficiente, utilizem toda a superfície da pista disponível, com estas dimensões ou outras. Cada elemento técnico efectuado na pista, recebe ainda, por parte dos juízes, uma pontuação de acordo com o valor base atribuído pelos regulamentos e o grau de execução do patinador. A ISU define nos seus regulamentos que, uma queda corresponde a uma perda de controlo do atleta, que vai resultar numa sobrecarga de peso sobre as mãos, joelhos ou nádegas em vez de o peso estar sobre as lâminas, motivo pelo qual as quedas são penalizadas pelos juízes.

Os saltos de patinagem artística, são saltos pelo ar em que o atleta, descrevendo rápidas rotações no ar, com uma ou mais voltas, aterra completamente e com sucesso em seguida. Há diferentes tipos de saltos e são identificados e diferenciados consoante o tipo de descolagem feita pelo atleta, o tipo de aterragem e o número de rotações efectuadas.

Os piões são um elemento exigido nas 4 modalidades olímpicas. Nos piões o atleta pode girar no sentido dos ponteiros do relógio ou no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio e embora a maioria dos diferentes tipos de piões seja descrita, com o atleta a executar rotações com a ou as lâminas a tocar no gelo, há piões que são executados em salto ou deslocação no ar e também se podem fazer a combinação de piões, ligando-se piões de tipos diferentes em sequência.

Em termos competitivos, a apresentação geral dos atletas e indumentária, também é tida em conta aquando da atribuição de pontuação pelo painel de juízes responsável por ajuizar a prova.

Federação Internacional responsável – ISU (International Skating Union)